sexta-feira, 26 de junho de 2015

Como fortalecer minha marca?

Primeiramente, vamos conceituar marca de acordo com INPI ”A marca é um sinal que identifica no mercado os produtos ou serviços de uma empresa, distinguindo-os dos de outras empresas”.

Todavia essa definição deve ser aprofundada para melhor compreensão. A marca vai além de um simples símbolo ou uma identidade visual, ela, de fato, serve para diferenciar empresas, mas ela também cria uma sinergia com o consumidor. Ou seja, uma pessoa ao comprar uma marca específica traz contigo a experiência em adquirir um produto e um sentimento sobre o que está recebendo em troca.

Clientes da Nike compram estilo, superação, motivação. Eles se lembram de um atleta famoso que teve sucesso na carreira e usava uma chuteira com aquele logotipo, também lembram momentos que conseguiram se superar usando tal apetrecho e por aí vai. Marca é tudo aquilo que o cliente sente sobre determinada empresa quando entra em contato com ela, seja visualmente, através de áudio e todos os outros sentidos.

O presidente da Coca-Cola disse em determinado momento que estava muito feliz na empresa pelo fato da marca dela valer cerca de 50% do valor da companhia, se todas as fabricas da Coca-Cola fossem destruídas a empresa poderia se erguer do nada pelo fato de ter uma marca forte, se eles conseguissem colocar aquele liquido gaseificado escuro produzido em outra fábrica dentro da garrafa padrão “Coca” o consumidor teria a mesma experiência que tinha quando a produção advinha de sua própria fabrica.

Diariamente, nós temos contato com mais de 3.000,00 marcas. Por exemplo: acordamos num colchão da Copel, tomamos um leite Cooper, com um requeijão Vigor, abrimos uma pasta de dente da Colgate, vestimos um sapato da Democrata, colocamos uma camiseta da M. Officer, uma calça da Calvin Klein, entramos num veículo da Volkswagen, etc. Porém somente assimilamos uma parte dessas marcas, isso por que algumas empresas fazem um extraordinário trabalho com suas marcas.

Branding

É a gestão da marca, nessa área que a empresa se preocupa em transmitir para o cliente aquilo que a marca pode oferecer, visa fortalecer o nome da empresa para que ela possa ser lembrada e ser associada positivamente na mente do consumidor. Os principais benefícios são:

- Fidelização de clientes.

- Mais efetividade em ações de marketing.

- Aumento do ativo da empresa.

- Diminuir o esforço de venda do produto.

Quando uma marca é forte os clientes são fiéis e não trocam de produto numa recompra, sempre estão “antenados” com seus lançamentos e novidades, as ações de marketing ganham mais força por que são, melhor, assimiladas pelo publico final. A empresa – como dito anteriormente – aumenta seu valor de mercado, os clientes a procuram de todas as formas maneiras de adquirir o produto, vão atrás de fornecedores e de canais de distribuição.

Para uma bom trabalho de Branding necessita-se de um bom planejamento e de identificar como a marca quer se posicionar no mercado: melhor preço, melhor produto ,maior valor agregado ou outros. Antes de realizar ações externas, é necessário que toda a empresa tenha o mesmo foco, deve-se fazer um trabalho interno de branding com os próprios funcionários através de treinamentos e estimulando a interação da equipe. A partir disto a empresa pode fazer ações para divulgar um novo produto ou fortalecer sua marca.

Mas, afinal, o que faz com que alguém escolha minha marca e não os concorrentes?

Muito se fala da humanização da marca, o trabalho direcionado para cada cliente torna seu serviço único e proporciona uma experiência de compra mais prazerosa. Hoje temos que fazer o cliente se tornar, a cada dia, mais fã de seus produtos ou serviços. Somente assim você se diferencia dos concorrentes.

As pessoas consomem produtos da Apple por que possuem Status quando atendem uma ligação num Iphone, elas dirigem Harley Davidson por que possuem uma espirito aventureiro e se sentem livres quando estão em contato com o produto.

O ideal é você ter bem definido como você quer ser lembrado por um consumidor e entregar aquilo que você realmente quer entregar. Quando conseguir isto você poderá iniciar um trabalho de divulgação.



Baseado nisso posso afirmar: Fortaleça sua marca para se diferenciar no mercado! Mostre quem você é!!!

sexta-feira, 19 de junho de 2015

Tendências 2015

Somos empreendedores por natureza, movido pela grande diversidade do povo brasileiro o empreendedorismo ganhou destaque no mundo ocupando o primeiro lugar no ranking da GEM (Global Entrepreneurship Monitor) que classifica as nações com maior índice de criação de negócio considerando a população economicamente ativa. Ficamos na frente até de países mais desenvolvidos, de origem norte americana, mas o grande trunfo do Brasil está na mudança de perfil dos empreendedores que passam a empreender por oportunidade de mercado e não, apenas, por necessidade. Em 2011 a maior parte dos brasileiros se tornavam administradores de empresas pela falta de opção e buscando algum tipo de renda, já de acordo com a pesquisa da GEM em 2014 a maior parte dessas pessoas buscam, prioritariamente, as oportunidades.

Em função disso resolvi elencar alguns segmentos promissores para se investir num negocio em 2015 de acordo com a revista pequenas empresas grandes negócios e a Instituição de ensino FGV.


Terceira Idade

Mais de 8% da população são de pessoas idosas e a expectativa de vida de brasileiros já passa de 70 anos conforme IBGE, com o avanço da medicina e mais acesso a informação sobre produtos a serem consumidos e melhores hábitos faz com que a projeção seja bem otimista para este segmento. Na verdade o grande diferencial será a qualidade de vida deles, por que ao chegar nessas idades essas pessoas que se auto titulam “ melhor idade” estão totalmente ativas e dispostas a curtir esse momento. Boas ideias para esse segmento são:
Academias de ginastica direcionadas oferecendo aulas de pilates, fisioterapeutas, médicos, espaços de entretenimento, dança e eventos esportivos, promovendo assim o relacionamento entre seus alunos. Esses espaços poderão se diversificar realizando bailes para terceira idade, oficinas de tecnologia, excursões para diversas áreas, além de atividades ao ar livre. Foi nesse nicho de mercado que o grupo (GE64) de MBA da FGV desenvolveu o projeto de implantação do Espaço de Entretenimento Viver Bem.
Outra opção seria criar um espaço Senior que seguiria a mesma linha do espaço kids, mas com atrativos para a melhor idade, como: cadeiras confortáveis, local climatizado, novelas e jornais de época, boa literatura, entre outros.
De acordo com um importante jornal japonês,Mainichi Shimbun a parcela de 25,9% da população japonesa tem 65 anos ou mais, 0,9 pontos percentuais a mais em relação ao ano passado, segundo o governo do Japão, informou o Mainichi Shimbun. A taxa, a maior da história no país asiático, equivale 32,96 milhões de pessoas, 1,11 milhões a mais que em 2013.– O Brasil conta com mais de 10% de sua população na mesma situação.


Mercado Pet

Um levantamento que foi feito pela Abinpet em parceria com outras instituições de levantamento de dados do Brasil, nosso país está ocupando hoje a 4ª colocação em número de pets. O número de animais de estimação que hoje possuem um lar no Brasil chegam aos impressionantes 106,2 milhões, recorde absoluto em toda história, considerando a população do Brasil em 200,4 milhões de pessoas chegamos a impressionante marca de 1 pet para cada 2 pessoas.
O mercado que mais cresce é de acessórios para pets: roupinhas, casaquinhos, casinhas, brinquedos e outros. Também aliado a tendência da qualidade de vida os pesquisadores desenvolvem rações balanceadas para cada idade. Existem SPAs para animais com hidromassagem, banhos especiais e muito mais.
Os shoppings pouco a pouco liberam a entrada dos animais acompanhados pelos donos, são criadas áreas direcionadas para eles e o habito de compra vai se alterando.


Mobilidade

O Estadão afirma que “Há 2 bilhões de pessoas em todo o mundo usando aparelhos que tem conexão de internet; no fim da década, serão pouco mais de 4 bilhões.” Mais de 70% dos usuários de smartphone consultam preços dentro do próprio estabelecimento comercial. O celular tornou-se uma arma para negociação e essa realidade ira aumentar mês a mês. O preço deste produto teve uma drástica queda em razão de alguns lançamentos com um de valor mais acessivo (ex.: Moto G – 649,00).
Por isso o investimento em aplicativos que promovem a interação entre clientes e empresas estão em destaque, hoje pode-se ver qual local turístico vale a pena visitar de acordo com um ranking, qual o melhor local para fazer uma refeição, qual a promoção mais vantajosa e ate como esta o andamento de uma prestação de serviço. Possibilita vender produtos 24h por dia e 365 dias no ano, tudo isso ao alcance da mão, aumento a possibilidade do consumidor comprar por impulso.


Tecnologia / Internet

Tecnologia significa a capacidade de superar as circunstancia por meio da inteligência, o nome vem da palavra Techne - arte, habilidade, pericia, astucia.
A T.I. (tecnologia da informação) deixa de ter uma postura reativa e passa a ser proativa, buscando soluções estratégicas e oferecendo ativamente oportunidades de negócios. Ela esta totalmente atrelada a inovação, com isso os gestores conseguem aproveitar ao máximo a força dos computadores, usando os para redesenhar processos e não apenas automatiza-los conforme Hammer (1990). Da evolução do novo surge a necessidade de controlar melhor tudo aquilo produzido aliado a tecnologia.
Business intelligence segundo Basta (2003) seria um processo analítico em constante mutação que transforma dados em informações e informações em conhecimento, possibilitando modificar capacidades, desempenhos e recursos num processo decisório estratégico. Ou seja, o B.I. tem a função de disponibilizar a informação da maneira mais clara e rápida possível para facilitar a tomada de decisão, com ele você pode ver quais o produtos com maior saída e maior margem, qual o ticket médio da empresa, quantas mulheres compraram determinado produto e em quanto tempo, quantas senhores entre 37 e 42 anos que trabalham de segunda a sexta e são divorciados optaram por levar uma garantia estendida mesmo sabendo que o produto já tinha garantia. Este ultimo exemplo, só ilustra o quão especifico pode ser a pesquisa para viabilizar uma ação direcionada. Imagine você receber a notificação do valor do seguro residencial momentos depois que você assinou a escritura do seu apartamento sem você, se quer, tiver solicitado.
Vamos falar um pouco da internet: o Google processa cerca de 24 petabytes (1 milhão de gigabytes) de dados por dia; o Facebook recebe mais de 10 milhões de fotos a cada hora, são 3 bilhões de curtidas ou comentários por dia; 800 milhões de usuários do Youtube enviam vídeos com duração maior que 1 hora por segundo. São dados fornecidos pelo Mestre Luiz Leitão da FGV, e ilustram bem a conectividade e a interação dos maiores sites de relacionamento. Investir nesse segmento pode tem um custo reduzido considerando que o próprio microempreendedor pode gerir sua rede de relacionamento. Um apontamento interessante seria que esses sites devem ser utilizados para estreitar relações com seu publico e a propaganda maciça focada em preço acaba sendo desagradável e pode ter uma repercussão negativa.



Baseado nisso posso afirmar: Antecipe-se para, melhor, aproveitar as oportunidades. Agora!!!

quarta-feira, 17 de junho de 2015

Como concorrer com as grandes empresas?

Não estamos sozinhos no mundo, quem sabe podemos não estar sozinhos na galáxia... Tirando o leve devaneio, gostaria de falar um pouco mais sobre o mercado: ele e como uma corrente forte e resistente e os elos que a compõem são representados pelas empresas, logo se existir apenas um elo (uma empresa) não existira mercado e sim um monopólio – figura essa cada vez mais rara.
Muito mais difícil que crescer num mercado competitivo eh não poder contar com o auxilio de outras empresas, não ter know how do negocio, nem conhecer onde pisa. A globalização trouxe inúmeros benefícios, como: a facilidade de acesso a informação, a ampliação de possibilidade de parcerias, auxilio na busca de novos fornecedores, entre outros. Mas também trouxe os gigantes multinacionais, grandes marcas e franquias, tornando ainda mais difícil para uma microempresa ou empresa de pequeno porte se manter no mercado. O que fazer para continuar competitivo nesse mercado?

Que tal unir as forças? O Associativismo e o cooperativismo nasceram da necessidade de tornar um elo mais forte, partindo da premissa que a união faz a diferença. O grande trunfo desse sistema eh a mudança de postura das empresas que veem suas concorrentes como parceiras de negocio. Como exemplo posso citar o Deposito Bandeirante da cidade de S.J.Campos que se uniu E seus principais benefícios são:
- Realização de compras em conjunto num volume maior e um preço menor.
- Linhas de credito com mais vantagens.
- Mais facilidade na obtenção de informações de mercado.
- Troca de experiências.
- Maior seguridade.

Essa ideia de trabalhar em coletividade vem desde a idade media nos primeiros mercados criados, identificou-se que o coletivo seria muito mais forte do que o individual. E com o progresso e desenvolvimento humano ganhou formas e diferenciação e são responsáveis por mais de 30% do PIB brasileiro. Abaixo a distinção destes dois modelos.


Associativismo
Mínimo de 2 pessoas.
Não possui Capital Próprio.
Os bens adquiridos pertencem a associação.
Em prol do objetivo social.

Cooperativismo
Mínimo de 20 pessoas.
Possui Capital Próprio.
Os bens podem ser repartidos entre os cooperados
Em prol do objetivo econômico.


Baseado nisso podemos afirmar: Sozinho você pode ir mais rápido, mas em grupo você vai mais longe. Una-se e alcance maiores resultados!!!

Como ser microempreendedor individual?


Abrir o próprio negócio pode parecer uma tarefa difícil aos olhos de quem sempre trabalho como empregado e em regime de carteira assinada, todavia algumas pessoas já estão acostumadas a trabalhar “por conta própria”. Esses últimos possuem grande representatividade no país e podem movimentar a economia local de maneira surpreendente.


A lei complementar 123/06 regulamenta um regime tributário diferenciado para quem quer se formalizar. Criando a possibilidade de uma pessoa física virar pessoa jurídica (constituir empresa) sem burocracia no regime de Micro Empreendedor Individual – MEI -se tiver o rendimento anual de até 60 mil reais que nos traz uma media de faturamento de 5 mil reais mensais.



Os benefícios dessa formalização pode-se ver num post anterior: Formalizacao para a evolucao.


Didaticamente vou responder as principais perguntas que tenho recebido em consultoria e espero que de alguma maneira as respostas te auxiliem nos seus negócios.


O que seria necessário fazer para formalização?


Para isso tem-se a necessidade de ter um endereço físico e um CNPJ através do site: Portal do empreendedor de forma gratuita. Após o cadastramento, o CNPJ e o número de inscrição na Junta Comercial são obtidos instantaneamente.


Outro ponto interessante seria a obrigatoriedade de prestação de auxilio pelos contadores credenciados que se beneficiam de regimes de tributação simplificada (Simples Nacional) para a abertura de novos negócios sem nenhum custo. Esses contatos também podem ser identificados no site citado anteriormente.



Qual seria o custo?

R$ 31,10 por mês (representa 5% do salário mínimo que é reajustado no início de cada ano); R$ 1,00 fixo por mês se a atividade for comércio ou indústria;R$ 5,00 fixos por mês se a atividade for prestação de serviços. De acordo com o Sebrae:” o MEI será enquadrado no Simples Nacional e ficará isento dos tributos federais (Imposto de Renda, PIS, Cofins, IPI e CSLL). Assim, pagará apenas o valor fixo mensal de R$ 40,40 (comércio ou indústria), R$ 44,40 (prestação de serviços) ou R$ 45,40 (comércio e serviços), que será destinado à Previdência Social e ao ICMS ou ao ISS. Essas quantias serão atualizadas anualmente, de acordo com o salário mínimo.


- Quais os documentos necessários para se tornar um empreendedor individual?

O site G1 reponde: “É preciso comprovante de residência com CEP atualizado, CPF, comprovante da última declaração de imposte de renda como pessoa física e título de eleitor. Além disso, é preciso ter mais de 18 anos para se transformar em empreendedor individual.”


- Tem alguma dispensa de obrigações?


Dispensa de Vistorias, dispensa de escritura fiscal e contábil, dispensa de emitir NF para pessoas físicas (somente se quiser).


- Pode ter funcionários?

A lei ainda prevê a possibilidade de contratação de um funcionário que terá os mesmos direitos de trabalhadores de grandes empresas. Vale lembrar que na hora de contratar o ideal seria buscar um profissional mais próximo do perfil da vaga e não, apenas, por mera afinidade. Após o processo de seleção basicamente o MEI terá, basicamente, que reunir os seguintes documentos do contratado: carteira de trabalho, certificado militar (para homens), certidão de casamento ou de nascimento dos filhos (se houver), RG, CPF, Exame admissional, declaração de I.R.


Baseado nisso posso afirmar: Deixe sua estrutura mais forte, suba os degraus da formalização. Aumente sua seguridade!!!

sexta-feira, 29 de maio de 2015

O que fazer quando as vendas caem?



Pessoal, é grande o número de pessoas que estão reclamando de 2015 no comércio de maneira geral. Os consumidores ficam mais contidos e receosos na hora de fazer uma compra e muitas vezes tomam decisões baseadas no preço. Isso me lembra uma frase postado em um restaurante que li a alguns anos atrás de um escritor inglês John Ruskin (Folha, 13/12/2008) : “Não há quase nada no mundo que outra pessoa não possa fazer um pouco pior e vender um pouco mais barato”.


Isso nos faz pensar na concepção do que é qualidade, para um engenheiro pode significar uma peça exatamente igual às especificações desejadas, para uma dona de casa pode ser um produto que deixa a roupa muito mais branca sem ter isso explicito na embalagem. Mas eu prefiro o conceito de que qualidade é quando a percepção positiva ultrapassa todas as expectativas.


O que fazer quando as vendas não estão em alta?


A primeira coisa que o gestor pode pensar é em reduzir custos e cortar despesas. Calma , calma... o que é custo e o que é despesa? Para facilitar a compreensão vamos pensar numa fábrica de cadeiras. Tudo que é utilizado para produção deste produto é custo, como: barras de ferro, proteções emborrachadas, almofadas, horas trabalhadas dos operários e outros. Já as despesas são outros gastos que não estão diretamente ligados a produção, pode ser: gastos com materiais administrativos, serviço de limpeza do local, etc.


Mas porque devemos saber essas distinções? É fácil, para auxiliar na tomada de decisão quando diminuições os custos, nós podemos diminuir a qualidade do produto ou otimizar os processos.


Este segundo é sempre a melhor escolha. Com relação as despesas, quando cortamos elas podemos afetar o clima organizacional e tornar o ambiente menos produtivo. Pense em tirar o cafezinho dos funcionários, qual impacto você traria no clima da empresa?


Essas decisões são muito importantes para a permanência de uma empresa no mercado. Posso citar um “case” específico: em determinada empresa, quando os colaboradores batiam as metas eles confraternizavam fazendo um BIG café da manhã com bolos, pães, sucos e frutas. Mas para cortar gastos o gerente resolveu tirar esse café. Foi uma decisão estratégica positiva? Não, afinal o café era um investimento e não uma despesa.


Investimento é todo recurso despendido para obter um ganho. Esse recurso pode ser mão de obra, tempo, dinheiro e outros e o ganho pode ser tanto tangível, quanto intangível.


A melhor forma de diminuir os custos e despesas é negociar melhor os valores de compra, diminuir perdas de materiais, melhorar processos dentro das áreas, facilitar a comunicação entre departamento e usar produtos substitutos em determinados casos.





Baseado nisso posso afirmar: Faça contas e negocie bem, aumente sua lucratividade, se não conseguir aumentar suas vendas!!!

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Vale a pena importar!?

Com o aumento do custo dos produtos nacionais grande empresas investem em importação de produtos similares, muitas vezes com o custo inicial muito inferior e uma qualidade equiparada. Todavia é necessário avaliar que para vender produtos de outros países teremos que somar ao custo do produto algumas taxas. Posso destacar as principais taxas:
 - Imposto de Importação (I.I.) – Produtos importados.
- Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) Produtos industrializados.
 - Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e Serviços
- ICMS - São Paulo a alíquota é de 18%.
 - Imposto Sobre Serviços (ISS)-Imposto municipal.
 - Imposto Sobre Operações Financeiras (IOF) – operações de cambio.
- Patrimônio do Servidor Público (PIS-PASEP)
 - Contribuição Social para o Financiamento da Seguridade Social (COFINS)
Adicional de Tarifas Aeroportuárias (ATA)
- Armazenagem – Referente a pátios, depósitos, de propriedade dos administradores dos portos.
- Capatazia - Gastos com a movimentação de mercadorias nos portos.
- Despachante Aduaneiro

- Emissão da Declaração de Importação – SISCOMEX define.
Segue exemplo de calculo.
Fonte: CIESP
Contudo, como pode-se ver , a quantidade de alíquotas assusta os importadores. Todas as tarifas obdecem também uma política antidumping para que não deixe os produtos nacionais foram da competição. Essa estratégia consiste em aumentar as taxas de importação para que os preços destes produtos fiquem mais próximos dos produtos brasileiros.
Existem empresas especialistas em cálculos de custos de importação e podem auxiliar nesses dados também.
Baseado nisso posso afirmar: Não se prenda a um único mercado. Globalize-se!!!

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Gestão Financeira


A gestão financeira é essencial para controle de uma empresa e podem definir o seu sucesso ou fracasso. Através dela que conseguimos identificar se a empresa é lucrativa ou não, se ele deve reinvestir no mesmo segmento, se ela deve fazer algum empréstimo ou financiamento, qual a melhor forma de pagar suas obrigações e se deve flexibilizar seus recebimentos. Planejamento, organização, direção e controle são premissas básicas da gestão.


Por isso selecionei algumas ferramentas que poderão auxiliar no processo de tomada de decisão.


Orçamento

É um instrumento que descreve o plano geral de operação e/ou de capital orientado por objetivos e metas propostos pela direção da empresa por um determinado período” segundo Zdanowics. Seria uma diretriz traçada logo no inicio do período com a intenção de guiar “os passos” da empresa durante o ano. Ele não eh engessado pode ser alterado a qualquer momento, mas toda mudança traz consequências que podem interferir no resultado final. Em seu conteúdo deve constar: As despesas mensais (custos fixos + custos variáveis), faturamento mensal, margem de contribuição, margem de desconto, metas e os KPIs (indicadores – ex: Total de venda de vestidos femininos) que devem ser medidos.


Fluxo de caixa

Segundo o Sebrae ele é uma ferramenta da gestão financeira que projeta para períodos futuros todas as entradas e as saídas de recursos financeiros da empresa, indicando como será o saldo de caixa para o período projetado. Descomplicando imagine um riacho onde as águas se encontram e se separam, essa linha principal seria o fluxo de caixa que possui diariamente entradas (vendas, empréstimos, retorno de investimentos) e saídas (contas a pargar, despesas emergenciais). A boa administração dele determinará se os compromissos serão honrados, pode identificar se existe algum valor excedente para uma aplicação.


Payback

Uma boa maneira de saber se um investimento será rentável eh utilizar esta ferramenta. Payback traduzido em português significa “pague de volta” e quer dizer exartamente isso, em quanto tempo o investimento será ressarcido ao investidor. Através desta análise a pessoa que investe terá uma estimativa de quanto tempo começará a lucrar em cima de seu investimento.


Custo de oportunidade

Muitas vezes ao investir em determinado produto ou empreendimento a decisão do dono do capital não pode ser analisada isoladamente, devemos levar em consideração também o quanto ele ganharia investindo em outro projeto. Leone (2009 p. 76) afirma que ”o custo de oportunidade é o valor do beneficio que se deixa de ganhar quando, no processo decisório, se toma um caminho em detrimento de outro” e Marshall (2002) “ são os lucros potenciais máximo não realizados com o evento de perda em alguma ocorrência.” Quanto poderíamos ganhar tomando outra decisão?


Analise de Riscos

Toda a operação possui um risco e normalmente quanto maior o ganho maior o risco, por isso devemos elencar todos eles referentes a uma operação. Tudo que envolve dinheiro deve ser levado a serio. Imagine um investidor que compra um terreno para criação de gado em uma zona de constantes invasões do grupo MST, seria viável? Resposta básica de administração financeira – Depende. Se o valor do investimento somado ao custo mensal que ele terá em alocar pessoas que garantam a propriedade para ele for menor do que a valorização do imóvel certamente será um bom investimento.


São apenas dicas para nortear as decisões estratégicas de um investidor ou de uma empresa, que devem ser aprofundadas e personalizadas para cada tipo de negocio. Também recomendo o acompanhamento de um profissional especializado em Gestão Empresarial ou uma consultoria financeira para formular calculo e tornar o conceito mais mensurável.


Baseado nisso posso afirmar: Mantenha sua empresa financeiramente saudável. Analise seus investimentos. Diminua os riscos!!!