quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Criatividade e Inovação

Conforme exposto no post anterior o departamento de criatividade e inovação tem ganho grande importância em grandes empresas. Afinal, o que esse departamento faz e como ele trabalha? As pessoas ficam apenas inventando coisas? Como se mede a criatividade? Perguntas como essas podem surgir quando falamos de uma área relativamente nova.
Vamos fazer algumas explicações: Esse setor dentro de uma empresa é responsável por criar produtos ou serviços, desenvolver diferenciais competitivos nos já existentes e realizar pesquisas para auxiliar a tomada de decisão.
Para que esse departamento tenha sucesso ele precisa de algumas ferramentas e atributos:
- Um ambiente descontraído e informal.
- Autonomia dentro da empresa de maneira geral.
- Uma politica que estimula idéias de qualquer natureza.
- Diversidade de pessoas (etnias, gêneros e classes sociais).
- Banco de dados eficiente com informações fidedignas.
Ótimos exemplos de empresas que trabalham muito bem esse lado são a Google e o Facebook e uma grande dica de filme que retrata bem o cenário é "Os estagiários".
Não é preciso ter um departamento especifico para que a criatividade e inovação tenha espaço em sua empresa, pode-se criar espaços de inovação, recrutar pessoas diferentes, estimular novas idéias com campanhas e outros.
Baseado nisso posso afirmar: Diversifique sua forma de pensar. Pessoas adoram coisas novas!!!

Demanda e oferta

Em economia muito se fala de demanda e oferta em relação ao mercado. Como toda empresa esta inserida num mercado e esse mercado está em constante mutação poderemos utilizar um pouco mais esses conceitos.
 A oferta nada mais é que a quantidade de um bem ou serviço oferecido no mercado. Quanto maior for a oferta desse bem num determinado local,maior será o acesso das pessoas a eles. Com isso a tendência é que seu preço diminua para atender esse mercado mais competitivo. Exemplo: O preço de venda de castanhas no Pará - local de origem.
Já a demanda esta do lado dos consumidores e diz respeito a necessidade, ou gosto por um bem ou serviço em determinada região. Quanto maior a demanda, maior a procura e, consequentemente, maior será o preço que determinado consumidor estará disposto a pagar para ter seus desejos realizados, ou suas necessidades sanadas. Ex.: O preço de venda da castanha no estado de São Paulo - não é o local de origem.
Com isso algumas empresas traçam estrategias para melhor atingir os mercados com maior demanda, muitas vezes antecipando uma necessidade ou até criando-as. Todos querem fazer parte de um mercado em que  a demanda seja grande e a oferta seja pequena,  todavia esses mercados estão cada vez mais escassos.
Um dos grandes exemplos é do medicamento Viagra que age contra a impotência sexual. Por anos o laboratório Pzifer explorou sozinho esse novo nicho.
O departamento de inovação e criação ganha destaque em grandes corporações para criarem produtos ou serviços que usufruam dessa oportunidade.
 Baseado nisso posso dizer: Criem, inovem e colham os frutos antes de novos agricultores.

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

FORMALIZAÇÃO PARA EVOLUÇÃO

-Chegou a hora de crescer....
Ao iniciar um novo negócio, empreendedores optam por agir na informalidade sem constituírem empresa ou criarem um CNPJ. Para evitar o pagamento de impostos essas empresas - normalmente familiares - podem ficar anos e anos sem se enquadrar em qualquer modalidade formal.
Isso ocorre pelo fato dos administradores não enxergarem vantagem no negócio formal, a relação custo x beneficio não representa ganho.
Atualmente os principais benefícios da formalização são:
- acesso a linhas de crédito.
- incentivo em programas governamentais.
- habilitação para participar de leilões, pregões e outros.
- poder de emissão de Notas Fiscais para pessoa física e jurídica.
- maior credibilidade para nos negócios com os clientes.
- possibilidade de progressão da empresa para outras modalidades.

Onília Araujo, contadora, diz o principal motivo que levam seus clientes a se formalizarem: "... existem apenas dois motivos válidos para a formalização de uma empresa: quando os tributos ficam muito “caros” na pessoa física ou quando seu cliente exige a formalização para contratá-las."

------------------------------------
Vamos falar sobre as principais modalidades de organização:
- Empresário Individual
Aquele que trabalha no comércio ou com serviços que não dependam de graduação superior para seu desempenho. É a antiga Firma Individual, e o seu registro é realizado na Junta Comercial.
- Sociedade Empresária Limitada
Com dois ou mais sócios e que trabalha no comércio ou com serviços não intelectuais.
- Sociedade Simples Limitada
Dois ou mais sócios e que trabalha com atividades intelectuais: de natureza científica, literária ou artística.
-----------------------------
Os sócios podem ser classificados como:
- Sócio administrador
É aquele que efetivamente desempenha funções dentro da empresa e é responsável pela administração da mesma. Recebe 'pró-labore', assina e responde legalmente pela Pessoa Jurídica (empresa). Todos os sócios podem ser administradores ou não. No caso de nenhum dos sócios desempenharem esta função, um terceiro deverá ser nomeado Administrador, sendo que o Contrato Social deverá prever esta situação.
- Sócio-quotista
Este tipo de sócio não trabalha na empresa, não retira 'pró-labore', mas participa de lucros e prejuízos do negócio e responde pelos atos da Pessoa Jurídica, em solidariedade com os outros sócios.

CUIDADO:

Existem restrições para algumas pessoas, na abertura da empresa:

- Funcionário Público
Na maioria dos casos, o funcionário público está impedido pelo seu Estatuto de Servidor de ser sócio-administrador ou titular de firma do tipo Empresário. Geralmente, ele poderá ser somente sócio-quotista. Para saber desta possibilidade, é necessário consultar a entidade para qual trabalha.
- Aposentado por invalidez
O aposentado por invalidez não pode ser sócio-administrador de uma empresa ou titular de empresa individual (Empresário), apenas sócio-quotista.
- Participação em outra empresa
É vedado é uma pessoa ter duas empresas do tipo Empresário em seu nome.

SIMPLES NACIONAL

O Simples nacional é um imposto unificado pela Lei Complementar 123 de 2006.
"Entrou em vigor, no dia 01 de julho de 2007, o Simples Nacional, um regime tributário diferenciado que unifica e simplifica a arrecadação de oito impostos e contribuições federais, estaduais e municipais, instituído pelo Estatuto Nacional das Micro e Pequenas Empresas (Lei Complementar n. 123/2006). O Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas Microempresas (ME) e Empresas de Pequeno Porte (EPP) envolve os três entes com competência tributária - União, Estados e Municípios. O Simples Nacional, também conhecido como Super Simples, implica no recolhimento, mediante um único documento de arrecadação, dos seguintes impostos e contribuições: IRPJ, PIS, COFINS, IPI, CSLL, INSS, ICMS e ISS."

Veja a reportagem da PEGN de 12/06/2013 que relata bem algumas mudanças do imposto.
Quando parou de competir profissionalmente, o surfista Fábio Pinheiro resolveu empreender. Passou a vender, na capital baiana, materiais esportivos voltados para o surfe, especificamente na modalidade chamada de bodyboard. Atuava na informalidade até poder se registrar como Microempreendedor Individual (MEI), sendo um dos primeiros na Bahia a aderir à categoria. Hoje, já são quatro anos de negócio formalizado. Para Fábio, uma das principais vantagens está na questão tributária. “Sem essas condições, provavelmente não poderia fazer um Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) e ampliar a empresa. A tributação simplificada facilita a possibilidade de formalizar um negócio”. A categoria Microempreendedor Individual está incluída no regime tributário conhecido como Supersimples, que completa em julho seis anos de implantação.
Esse regime reduz em cerca de 40% os impostos para as micro e pequenas empresas. O Supersimples surgiu junto com a Lei Geral da Micro e Pequena Empresa, aprovada no ano de 2006 e que entrou em vigor em julho de 2007. O sistema permite que empresas com faturamento anual de até R$ 3,6 milhões tenham tratamento diferenciado na tributação. Além da redução da carga tributária, o Supersimples unifica o pagamento de oito impostos em apenas um boleto.
------------------------------------------------------------------
O que é preciso para abrir um negócio próprio?
Nome da empresa (Escolha três nomes para registrar a sua empresa, que sejam relacionados com a atividade do negócio).
Endereço da empresa.
Valor do capital social e a proporção da participação de cada sócio.
Dados dos sócios (Endereço residencial, Identidade, CPF e estado civil com regime de casamento).
Cópia do comprovante de residência dos sócios (Conta de luz, gás ou telefone).
Cópia do IPTU do imóvel no qual será legalizada a empresa (Folha do carnê onde consta o endereço do logradouro e a inscrição predial).

Existem basicamente dois tipos de alvarás: alvará de localização - é aquele onde a empresa realmente funcionará; alvará de Ponto de referência - é aquele onde a empresa utilizará o endereço residencial de um dos sócios ou do titular da empresa individual, apenas como ponto de referência. Este tipo de alvará é freqüentemente utilizado por empresas prestadoras de serviço.

A presença de um contador nesse processo facilita bastante esse processo.


Fonte: www.sefaz.ms.gov.br; www.legalizandoempresa.com.br; revistapegn.com.br; sebrae.com.br

Baseado nisso posso afirmar: Não há maneira diferente de evoluir uma empresa sem passar pela formalidade. Inicie um negócio fortaleça-se e formalize-a. Prepare o terreno que a chuva virá!!!

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Diagrama de Ishikawa

Quando nos deparamos com um problema, muitas vezes, não sabemos por onde começar.  A resolução dele deverá ser o mais rápido possível para minimizar o dano causado, por isso devemos achar uma solução coerente e adequada para transformá-lo numa oportunidade de melhoria. Para uma tomada de decisão eficiente precisamos de dados consistentes e identificar uma ferramenta adequada para identificação dos obstáculos que deveremos ultrapassar, nesse contexto venho apresentar uma ferramenta voltada a identificação das causas de cada problema: o Ishikawa. Criado pelo professor Kaoru Ishikawa  da Universidade de Tóquio em 1943.
“O Diagrama de Causa e Efeito, também chamado de “Diagrama de Ishikawa” ou “Diagrama Fishbone”, tem como objetivo facilitar a identificação das causas de problemas que devem ser sanados ou mesmo os fatores que levam a determinado resultado que desejamos obter através da representação gráfica.”
Basicamente este método voltado para a engenharia de qualidade visa ramificar o problema identicando cada uma das causas que estão relacionados a ela e posteriormente – se necessário – identificar as subcausas das causas. Seu criador enumera 6Ms como principais motivos de problemas: Método, Matéria-Prima, Mão de Obra, Máquinas, Medição e Meio Ambiente. Abaixo um gráfico ilustrativo:




A Espinha de Peixe (Fishbone) pode ser utilizada dentro de empresas seguindo o mesmo princípio, porém deverá sofrer adaptações e se adequar a cada realidade.

Vamos imaginar que uma empresa apresente uma queda no seu faturamento e a partir de uma pesquisa ela encontre pontos de melhoria no atendimento e nos serviços prestados. O administrador poderá representar graficamente o cenário de acordo com o diagrama.



Dessa forma, ir identificar cada causa para resolução do problema específico. Exemplo: Atendimento ruim – funcionários desmotivados e sem treinamento.



Após a identificação poderemos montar um plano de ação para resolvermos cada causa


DESCRIÇÃO DA ATIVIDADE
INÍCIO
DURAÇÃO
RESPONSÁVEL
FUNCIONÁRIOS DESMOTIVADOS
CRIAÇÃO DE CAMPANHA MOTIVACIONAL VISANDO O ENGAJAMENTO
IMEDIATO
30 DIAS
GERENTE DA ÁREA
FALTA DE TREINAMENTO
APLICAR UM TREINAMENTO ESPECIALIZADO EM ATENDIMENTO
1/1/2013
1 SEMANA
EMPRESA TREINAR

Fonte:





Baseado nisso posso dizer: Quanto antes identificar um problema na empresa, mais fácil será resolvê-lo. Fique ligado!!!

domingo, 29 de setembro de 2013

VISIBILIDADE FINANCEIRA


Uma grande dificuldade das empresas de modo geral é verficar precisamente o valor que estão ganhando ou que estão perdendo, a visibilidade financeira é essencial no negócio. Diversas vezes as pessoas confundem o faturamento com o lucro obtido, uma empresa pode faturar R$100.000,00 em um mes e lucrar menos do que quando faturou R$95.000,00.

O ideal é calcularmos o lucro da seguinte forma: Lucro Bruto (LB) = Preço de venda - preço de custo.

Com isso devemos identificar transação a transação o valor do LB adquirido, exemplo


Preço de venda de um shampoo - 20,00

Preço de custo do um shampoo -  15,00 (subtraindo)

Lucro bruto da transação --------    5,00 (25% de margem bruto)



*A margem bruta nada mais é que o percentual de lucro do produto.



Quando tivermos esse dado ficará mais claro para a loja o quanto está recebendo de fato, em contrapartida temos que ter relacionados todas as despesas da empresa, exemplo:



Uso e consumo--------------- R$ 100,00 (utilizados na produção de serviço e produto que não são comercializados)

Telefone/Internet-------------R$100,00

Aluguel------------------------R$1000,00 (acrescentar o valor de 13º aluguel, se houver)

Material de escritório--------R$  50,00

Pessoal------------------------R$3000,00 (média 2,5x o salário de cada funcionário)

Outros ------------------------R$ 550,00

Total-------------------------- R$4800,00



Ok, nesse exemplo hipotético temos que pagar uma despesa de R$4800,00 durante um mês se trabalharmos 5 dias por semana quanto teremos que atingir de LB por dia para pagarmos as despesas? Simples...



Total de despesa-------------------- 4800,00

Numero total de dias trabalhados -    20,00 ( 5 dias x 4 semanas - dividir)

Média do valor gasto diariamente-  240,00



A empresa deve atingir R$ 240,00 de LB por dia para pagar suas despesas e não ter prejuizo.



Esse é um exemplo bem simples, mas quanto mais detalhado forem os seus dados melhor ficara a visibilidade financeira do negócio. Podemos ir além através desse exemplo.



Qual deverá ser o valor do faturamento dessa empresa para ela pagar sua despesa mensal, considerando que a média da margem bruta dos produtos comercializados é de 10%?



4800,00 -------  10 %

    x ------------100 %



Multiplicando em x teremos:

10x = 480000 >>  x = 48000



É preciso faturar R$48.000,00 durante o mês.



Pode parecer basico tudo isso, porém é fundamental para o processo de tomada de decisão. Possibilitando o administrador traçar estratégias para aumentar a lucratividade da empresa.



São formas de alavancar o lucro:



Diminuição de custo

Aumento de venda em volume

Diminuição do desconto

Aumento da margem bruta dos produtos

Alteração do portfólio de produtos e serviços.


Baseado nisso posso dizer: Não adianta nada saber o faturamento de sua empresa , se não distinguir o lucro do prejuizo. Veja sua empresa!!! 

domingo, 2 de dezembro de 2012

Pesquisa de Mercado

Tomar decisões estratégicas, mudar o rumo dos negócios, avaliar um novo tipo de investimento, aumentar o volume dos negócios, reavaliar preços. Tudo isso somente é possível com a ajuda de uma PESQUISA DE MERCADO.
O papel de uma pesquisa é muito importante para uma empresa, através dela o Gestor obterá dados e fontes importantes para o processo de tomada de decisão.
Basicamente a pesquisa deve ter alguns aspectos:
1- Ser clara e objetiva.
2- Não ser cansativa.
3- Ser bem direcionada.
4- Ser auto-explicativa.
5- Mesclar perguntas ( abertas e fechadas).

Seguindo esses aspectos a pesquisa torna-se um meio mais fácil de adquirir informações. É fundamental que o entrevistado - aquele que responde a pesquisa - esteja ciente do objetivo dela para que suas respostas não sejam mal interpretadas.
As perguntas abertas deixam margem para o entrevistado responder. Exemplo: Qual seu hobby. Já as perguntas fechadas não dão margem e podem enumerar itens de resposta ou apresentar as alternativas na própria pergunta.
Exemplo 1:
Qual meio de comunicação você tem mais contato?
( ) Rádio
( ) TV
( ) Internet
( ) Revistas.

Exemplo 2:
Você prefere praia ou montanha?

A pesquisa ela pode buscar diferentes pessoas dividida em 4 grupos: clientes, colaboradores, fornecedores e concorrentes. Sendo que estes dois últimos se relacionam com o macroambiente. Uma pesquisa direcionada aos clientes pode ter como objetivo medir a satisfação deles, verificar suas necessidades, antecipar problemas e identificar oportunidades. Os colaboradores precisam estar satisfeitos com suas empresas, por isso cada vez mais as empresas buscam identificar o que lhes deixam satisfeitos.
O network, como já falado http://damazioconsultoria.blogspot.com.br/2010/10/network.html maximiza resultados das companhias e diminui custos, nesse contexto pesquisar ajuda muito a obter essas informações. Uma grande empresa do ramo de decoração e eletrônicos aumentou em mais de 30% seu lucro substituindo fornecedores nacionais por estrangeiros. Já a concorrência também nos traz dados preciosos sobre o mercado, como: definição dos preços, prestação de serviço, garantia, estratégias de vendas e outros.

A pesquisa possui 3 fases:
1º Elaboração
2º Aplicação
3º Interpretação dos dados.
Na primeira fase o pesquisador formula e organiza as perguntas de maneira cronológica e didática, ele defini a amostragem (quantas pessoas irão responder), faz a impressão do material e organiza as equipes de aplicação. A aplicação é efetivamente a resposta da pesquisa, nessa fase - aparentemente menos complexa - é necessário tomar bastante cuidado para que as informações colhidas sejam verdadeiras e fidedignas. Na ultima fase o pesquisador irá receber todas as pesquisas, tabular as respostas e elaborar gráficos com a interpretação de todos os dados.

Qual seria o melhor lugar para se divulgar uma propaganda de um veiculo estilo SUV? Muitos responderiam na televisão aberta ou fechada, no cinema utilizando merchandising, ou em revistas especializadas em autos. Mas foi através de uma pesquisa que uma montadora identificou nas crianças um potencial de decisão de compra e por isso a empresa divulgou o anuncio numa revista direcionada a esses pequenos influenciadores.

Fontes: Pesquisa de marketing de Carl McDaniel e Roger Gates

Baseado nisso posso afirmar: Não tome decisões sem nenhuma base confiável. Pesquise para achar alternativas. Uma decisão errada pode acabar com seu negócio.




segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

O que é churn na telefonia móvel?

É a relação entre os planos de telefonia móvel ativos e cancelados. Sendo assim quanto maior o numero de planos prospectados e quanto menos os planos de celulares são cancelados menor  será o churn. De uma forma mais simplificada podemos entender churn como a taxa de cancelamento.
Operadoras o utilizam para nortear as ações de uma empresa em qualquer segmento tanto em ações de prospecção de clientes, CRM, quanto em pós-venda.

Um bom exemplo dessas ações para baixar o churn seria o programa de desbloqueio de celular gratuito oferecido pelas operadoras, venda de planos sem fidelidade, sistema de pontuação para retenção de consumidores, promoções de combos de serviços e utilidades, dentre outros. A baixo um exemplo dessas ações:

“A Oi foi a primeira operadora a anunciar a venda de celulares desbloqueados, pratica adotada em 2007. Em janeiro de 2009, a empresa anunciou o fim da multa para cancelamento e mudança de planos pós-pagos e, no final de 2009, anunciou a venda de Iphone desbloqueado.”

Também vale ressaltar o competitivo mundo da telefonia móvel no Brasil. Esse mercado exige muito de seus profissionais que devem constantemente se atualizar e renovar seus conhecimentos, a cada mês existem novos planos e tecnologias oferecida  pela concorrência. Por esse motivo mesmo que esse mercado oferece ótimos ganhos e proporciona um bom plano de carreira baseado na meritocracia (ascensão de acordo com o mérito).

Por isso qualquer ferramenta de controle auxilia e muito a gestão dos produtos e serviços.

Não podemos ignorar a característica do consumidor médio brasileiro – gosto potencial por novas tecnologias, necessidade de conectividade, dá preferencia ao atendimento personalizado, é de difícil fidelização e faz maior analise de produtos e serviços oferecidos (consumidor analítico). Portanto empresas que investem em atrativos relacionados a esse perfil continuam recrudescendo no mercado. Podemos citar o exemplo de um plano da empresa TIM:

“Com o novo LIBERTY WEB SMART, você navega ilimitado no seu Smartphone ou celular com acesso à Internet e paga somente R$29,90 no mês que usar.
A TIM não quer que você se preocupe em contar quantos MB tem um e-mail, um vídeo ou uma página da Internet. Você navega à vontade, envia e recebe e-mails, acessa seus sites favoritos e fica conectado às redes sociais por um valor fixo mensal, Isso mesmo: você usa o quanto quiser e o valor não muda. Só R$29,90, no mês que usar. Assim, você não precisa se preocupar com a conta.
É simples e mais econômico.
Você não precisa se comprometer com o pagamento mensal de um pacote de dados pré-definido, nem pagar tarifas avulsas. Você só paga no mês que usar e o valor será sempre o mesmo. Só R$29,90.”
www.tim.com.br
 Baseado nisso posso afirmar: Ferramentas de controle são muito eficientes quando utilizadas em conformidade com o público-alvo.